Mostra de Vídeos

Mostra de Vídeos

Esta mostra é para todos e todas que desejam compartilhar suas experiências, práticas, saberes, processos, ações políticas e utopias, que possam contribuir para refletir e motivar processos de políticas, planejamento e gestão em saúde. A mostra pretende fortalecer o imaginário de que a esperança para a sociedade brasileira somos nós, num contexto em que se enraízam uma nova consciência e novos espaços sociais que atuam em defesa da cidadania e do direito à saúde.

São convidados a enviar sua produção audiovisual os pesquisadores, professores, estudantes, profissionais de saúde, dirigentes de entidades e movimentos que lutam pelo direito à saúde, gestores e demais lideranças culturais, políticas e sociais comprometidos com a construção da saúde, da cidadania e da democracia no Brasil.

Os vídeos podem ser produzidos em qualquer gênero (documentário, ficção, reportagem, animação, etc). O arquivo de vídeo deverá ter no máximo 50Mb, com duração mínima de 01 minuto e máxima de cinco minutos, já contando os créditos de abertura e finais. O arquivo de vídeo poderá ser gerado em qualquer dos seguintes formatos: MKV, AVI, MPEG,MP4, RMVB. Deverão ser observados os preceitos éticos referentes ao uso da imagem de terceiros.

A comissão ad hoc fará a seleção do conjunto de vídeos que vão compor o acervo do evento, disponível ao público para acesso on line. Entre os selecionados, os melhores avaliados, no limite de até 24 vídeos, serão exibidos aos participantes, durante o evento, em sala específica, nos dias 02, 03 e 04 de maio, das 13h30min às 14h30min.

Em conjunto com o vídeo deve ser anexado um documento em formato pdf, assinado pelo responsável pelo vídeo, autorizando o evento a dar plena publicação do audiovisual no site da Abrasco e em seus canais de mídia on line.

Para melhor situar a perspectiva da mostra, apresentamos a seguir uma síntese do artigo de Gastão Wagner de Sousa Campos, publicado no site da Abrasco, que dá título à I Mostra Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde.

A esperança somos nós…
Gastão Wagner de Sousa Campos (Adaptado)

“Vários fatores têm contribuído para a gênese e cronicidade da crise política, econômica e social brasileira. Há um aspecto, contudo, que tem sido pouco comentado. Refiro-me ao fato de que grande parte de nossa população se tornou mais exigente, havendo claramente ampliado a demanda por direitos sociais e por cidadania. Somos dezenas de milhões a cobrar acesso à saúde e à educação, a se opor ao racismo e ao machismo, a apoiar a luta dos povos indígenas e da população LGBT.

A esperança de um Brasil mais justo e democrático está em nós mesmos. Está no fortalecimento da sociedade civil e em nosso engajamento para reformar o caráter patrimonialista e clientelista do Estado nacional.

A prolongada luta pelo direito à saúde, pelo SUS, pela humanização das instituições e das práticas em saúde, em defesa de cidades saudáveis e do meio ambiente, a construção de políticas públicas em Ciência e Tecnologia, a luta contra a violência e em defesa da saúde mental, tudo isto, de distintas maneiras, ajudou a enraizar em nossa sociedade uma nova consciência, bem novos espaços sociais que atuam em defesa da cidadania.

Um sintoma que indica a vitalidade deste movimento é a constante incorporação, em nossas fileiras, de importante parcela da juventude.

Teremos que fortalecer as políticas públicas e a democratização da sociedade e do Estado brasileiro e a esperança de que isto aconteça depende principalmente de nós mesmos, depende da capacidade de resistência e de luta da sociedade. E deveremos ainda somar forças com setores democráticos e a favor da consolidação da cidadania.

A melhor forma de defesa do SUS e do direito à saúde é intensificarmos o esforço para prosseguirmos com a reforma sanitária. Organizar movimentos em que além de resistirmos às ameaças às conquistas existentes, atuemos ativamente para completar a reforma social e política ainda incompleta.

Defender as políticas e programas do SUS que vem funcionando, mas, ao mesmo tempo, lutar para ampliar o orçamento para as políticas públicas, para qualificar e aumentar a cobertura da Estratégia de Saúde da Família e de toda a rede de hospitais e de serviços de média complexidade. Prosseguir na democratização da rede pública. Nossa esperança sobreviverá entre nós, tratemos de desatá-los.”

Fonte: https://www.abrasco.org.br/site/2016/05/a-esperanca-somos-nos-por-gastao-wagner/

Realização

Apoio

Sobre o congresso

A Comissão de Política, Planejamento e Gestão da ABRASCO convida docentes, pesquisadores, estudantes, trabalhadores do SUS, gestores, representantes de movimentos sociais e todos os interessados no debate sobre os desafios da construção e gestão do Sistema Único de Saúde a participarem do 3º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, que será realizado em Natal, entre os dias 01 e 04 de maio de 2017.

Leia mais

   

JoomShaper